close-icon

Quer mais facilidade?
Baixe o app da Medplan.

Fique por dentro

30/11/20 13:22 | NOTÍCIAS

Nutricionista destaca alimentação e atividade física na prevenção do câncer de próstata

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), investir em uma alimentação variada, composta de alimentos como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, evitando alimentos ultraprocessados e bebidas açucaradas, pode prevenir o aparecimento de várias doenças, entre elas o câncer de próstata. Aliado a isso, praticar atividade física e manter o peso adequado estão entre os hábitos que contribuem para evitar o desenvolvimento da doença, segundo relatórios do Fundo Mundial para Pesquisa contra o Câncer (WCRF) e do Instituto Americano de Pesquisa em Câncer (AICR).

 
É o que confirma a nutricionista da Clínica Oncomédica, Ruana Rego. “A prevenção do câncer, de uma maneira geral, engloba várias ações realizadas para reduzir os riscos de ter a doença. Além de uma boa alimentação, é essencial a prática de atividade física, manter-se no peso adequado, não fumar, evitar bebidas alcóolicas em excesso, prevenir-se contra doenças sexualmente transmissíveis (como HPV e hepatite C) e evitar exposição solar excessiva. Além de todas essas recomendações, não esqueça de fazer exames regularmente, procure conhecer bem o seu corpo, e a qualquer sinal de que algo não está bem, procure um especialista”, orientou.
 
Um prato colorido faz a diferença
 
Ainda, segundo a nutricionista, uma alimentação diversificada tem um impacto extremamente preventivo ao longo dos anos. “Consumir alimentos variados diariamente e investir em um prato colorido e que tenha, durante a semana, feijão, cereais integrais, vegetais como brócolis, cenoura, vagem, abóbora, além de inserir no cardápio frutas em geral, em especial as cítricas, que são ricas em vitamina C, tudo isso, contribui para fortalecer o sistema imunológico”, destacou Ruana.

Para os homens que queiram se prevenir contra o câncer de próstata, uma ajuda potencial pode vir no consumo de alimentos ricos em licopeno, como o tomate. "E a melhor maneira para aproveitar essa proteção é através de tratamento térmico e homogeneização do tomate, ou seja, fazendo um delicioso molho de tomate”, sugere a nutricionista.

Ela lembra, porém, que “nenhum alimento ou nutriente, sozinho, é capaz de prevenir ou curar o câncer. É preciso manter uma rotina saudável, fazer uma avaliação médica regular, ficar atento aos sintomas da doença e aos fatores de risco, ou seja, é fundamental cuidar da saúde de forma integral”, frisou.

Exercícios diários
 
Ruana Rego recomenda ainda que o exercício físico seja incorporado à rotina. “Vivemos uma época em que o trabalho, os afazeres domésticos, os compromissos tomam a maior parte do nosso tempo, sem falar no estresse gerado por tantas demandas. Justamente por isso, é importante organizar-se para fazer uma caminhada de pelo menos 30 minutos. Caso não seja possível todos os dias, mas se comprometa três vezes na semana. Pode ser qualquer exercício da sua preferência e disponibilidade. O fundamental é reservar um tempo para movimentar o corpo e se alongar. Isso pode ser decisivo para evitar o surgimento de várias doenças, inclusive o câncer.
 
Fatores de risco do câncer de próstata
 
Além de adotar hábitos saudáveis de vida, evitar o sobrepeso e regular o estresse, é preciso ficar atento aos fatores de risco que impactam no desenvolvimento do câncer de próstata, tais como:
 
Idade: a recomendação é procurar um especialista a partir dos 50 anos se o homem não tiver predisposição para a doença;

História familiar: pai, irmãos ou tios que tenham tido câncer de próstata antes dos 60 anos devem fazer acompanhamento médico a partir dos 45 anos;

Homens negros: têm mais disposição, por isso é importante fazer consultas de rotina também a partir dos 45 anos;

Obesidade: aumenta as chances de desenvolver a doença.
 
Fazer o rastreio da doença é fundamental, mesmo na ausência dos fatores de risco citados acima. “Esse rastreio consiste no exame de sangue (PSA) e no exame do toque retal anual. O mais importante é que a partir das idades citadas seja feito todo o acompanhamento médico necessário para avaliar o paciente de forma individualizada”, afirmou o urologista Rodrigo Beserra, da Med Imagem.

Texto: Catarina Santiago
Imagem: Anne Riedel